O profissional britânico-ganês conquistou a tão reconhecida medalha pelos seus 25 anos de carreira, na qual busca a igualdade racial e a diminuição do impacto ambiental

O arquiteto britânico-ganês é o 1º preto a conquistar medalha de ouro no prêmio do RIBA (Foto: Reprodução / Josh Huskin)

O arquiteto britânico-ganês é o 1º preto a conquistar medalha de ouro no prêmio do RIBA (Foto: Reprodução / Josh Huskin)

Pela primeira vez na história do Prêmio, um arquiteto preto conquista a Medalha de Ouro do RIBA (Royal Institute of British Architects, em tradução livre Instituto Real dos Arquitetos Britânicos). David Adjaye, profissional britânico-ganês, foi o reconhecido pela instituição pelos 25 anos de história e carreira no universo da arquitetura, com projetos aclamados pela crítica.

No RIBA, a medalha de ouro é concedida pessoalmente pela Rainha, e reconhece o trabalho, como um todo, em prol dos avanços e da dedicação à arquitetura.

A conquista do arquiteto David Adjaye celebra toda a sua trajetória pessoal e profissional. Adjaye abriu seu estúdio em 2000, o Adjaye Associates, e, desde então, produziu obras com cunho de luta racial e consciência ambiental. Suas influências são a arte contemporânea, a música e a ciência, com referências africanas e à vida cívica das cidades.

“Quando seus monumentos contradizem as narrativas que foram projetadas, isso quebra a ilusão.”

David Adjaye

O arquiteto tem falado abertamente sobre o poder da arquitetura para neutralizar falsas narrativas perigosas em torno da supremacia branca e das mudanças climáticas. Como exemplo disso, Adjaye projetou monumentos dedicados a importantes figuras pretas, incluindo um pavilhão memorial de concreto para o trompetista e ativista Hugh Masekela em Joanesburgo. Ele construiu o Stephen Lawrence Centre em Londres, uma instalação educacional criada em memória de um jovem preto aspirante a arquiteto, assassinado em um ataque de motivação racial.

O pavilhão de concreto em Joanesburgo em homenagem ao trompetista Hugh Masekela, conhecido também como Bra Hugh (Foto: Reprodução / Alexi Portokallis)

O pavilhão de concreto em Joanesburgo em homenagem ao trompetista Hugh Masekela, conhecido também como Bra Hugh (Foto: Reprodução / Alexi Portokallis)

“A arquitetura, para mim, sempre foi sobre a criação da beleza para edificar igualmente todos os povos do mundo e contribuir para a evolução do artesanato”, declarou para o site Dezeen.

Atualmente, está trabalhando em um memorial, em Brixton, para Cherry Groce, uma mulher preta que foi baleada em casa pela polícia, em uma operação fracassada em 1985.

Dentre outros trabalhos reconhecidos, está o Idea Stores, em Londres, duas bibliotecas comunitárias, e o mais recente Museu National de História e Cultura Afro-americana Smithsonian, em Washington DC, EUA.

Museu Nacional de História e Cultura Afro-americana Smithsonian, de David Adjaye, em Washington DC. (Foto: Reprodução / Brad Feinknopf)

Museu Nacional de História e Cultura Afro-americana Smithsonian, de David Adjaye, em Washington DC. (Foto: Reprodução / Brad Feinknopf)

Além da nova medalha de ouro do RIBA, Adjaye é vencedor de vários prêmios e foi nomeado cavaleiro (Sir) em 2017 por seus serviços à arquitetura.

Fonte: Casa e Jardim

Categorias: Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *