O MEMORIAL GETÚLIO VARGAS, no Rio de Janeiro, completa 15 anos neste 24 de agosto de 2019.

Mas sua história se iniciou há 35 anos. Em 1984, Darcy Ribeiro e Brizola, lançaram um concurso público nacional de arquitetura e convidaram Oscar Niemeyer, para presidir o júri. O meu projeto foi escolhido. Todavia, interesses políticos impediram a execução da obra.

Vinte anos depois, em 2004, por iniciativa da Prefeitura do Rio, o memorial foi enfim construído e inaugurado em 24 de agosto, para as comemorações do 50º aniversário da morte de Vargas.

Durante aqueles vinte anos, sempre acreditei que um dia ele seria realizado. Não pela arquitetura, mas sim pela importância da história do mais popular presidente do nosso país.

Trata-se de uma idéia simples. Na praça, o busto de Getúlio e o monumento, com duas formas brancas ascendentes sobre o espelho d’água, convidam os visitantes a entrar. No subsolo, circular, desenvolvem-se os espaços de exposição, pesquisa e eventos culturais, além de um café e um auditório/cinema.

Tivemos que abandonar o local original, a Praça Mahatma Gandhi, pois ali foi construído um estacionamento subterrâneo. A nova escolha foi a Praça Luis de Camões, no bairro da Glória. Próxima ao Palácio do Catete, foi palco de manifestações cívicas, com Getúlio, e fica ao lado do Hotel Glória, freqüentado pelo ex-presidente.

Hoje o Memorial é um equipamento cultural consolidado e conta com uma programação permanente de visitas de estudantes da rede pública de ensino.

Henock de Almeida
arquiteto

www.ACarquitetura.com.br.
#arquitetura #acarqoficial #negocios #inovacao #memorialgv #memorialgetuliovargas

Categorias: Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *